SEQUESTRO RELÂMPAGO

     O Sequestro Relâmpago pode ser definido como a retenção de um ou mais pessoas para um período curto de tempo (horas ou dias), por criminosos que exigem dinheiro dos parentes das vítimas para que ocorra a liberação. Normalmente a quantia exigida varia de R$1 a R$10 mil reais. Na prática, as estatísticas demonstram que a maioria das liberações acontecem pagando resgates de menos de R$5 mil reais.

     Outra modalidade de extorsão que frequentemente se confunde com Sequestro Relâmpago é aquela em que os delinquentes retêm a vítima e a submetem a sacar seu dinheiro dos  caixas eletrônicos. Eles também lhe roubam o veículo e os seus pertences de valor como as jóias e o telefone celular e logo a deixam abandonada em algum lugar. Também têm-se apresentado casos em que obrigam a vítima a ir, não somente aos caixas eletrônicos, como também a sacar cheques, ou a ir a lojas para comprar jóias ou artigos de valor.

     Vale a pena esclarecer que para que exista a utilização da palavra sequestro extorsivo, é necessário que os delinquentes exijam uma soma de dinheiro para a sua liberação e exista negociação neste processo. A segunda modalidade mencionada anteriormente não poderia chamar-se sequestro, visto que é literalmente um roubo com retenção da vítima.

     Esta modalidade de sequestro se apresenta em resposta ao uso generalizado de cartões de crédito pela população, que dificulta o roubo em dinheiro pelos criminosos, os quais encontraram através do Sequestro Relâmpago um modo para alcançar este dinheiro.

Autores

    Os criminosos que normalmente sequestram nesta modalidade são de recursos econômicos escassos, com idades que oscilam entre os 17 e os 25 anos. Pertencem a delinquência comum e  operam em grupos de duas ou três pessoas.

     Frequentemente os autores do Sequestro Relâmpago são indivíduos com antecedentes penais na adolescência. Provavelmente roubaram veículos ou fizeram crimes menores. Também se observam delinquentes dependentes de drogas cometendo este crime.

Operação

     A diferença do sequestro planejado, para o Sequestro Relâmpago é a necessidade de trabalho de inteligência, logística, etc. É um crime que é executado sem planejamento anterior.

     Dois ou três indivíduos saem à rua a procura de uma vítima distraída que use boas roupas e artigos de valor (jóias, celular) ou que se encontre em um carro luxuoso. Eles procuram suas vítimas nos postos de gasolina, estacionamentos de shopping center ou as pessoas que deixam um local (escritório ou residência), apontam armas de curto alcance e lhes pressionam com fortes ameaças. Posteriormente, transferem a vítima de veículo e eles começam a circular pela cidade ao mesmo tempo em que realizam chamadas telefônicas aos familiares exigindo o pagamento de resgate.

     Estes delinquentes tentam executar o crime, cobrando o dinheiro no menor tempo possível, já que eles não estão preparados para manter por muito tempo a vítima em cativeiro; priorizando para que tudo se dê em um único dia.

Estatísticas

     As estatísticas demonstram que 65% dos Sequestros Relâmpagos acontecem pela manhã e as vítimas preferidas são as mulheres.

     Uma mulher sozinha em um carro (90%); duas mulheres sozinhas (70%); um homem e uma mulher (50%) e dois homens em um carro (abaixo de 40%).

     Nos casos de Sequestro Relâmpago estudados temos visto que aos delinqüentes não interessa causar danos, apenas procuram obter dinheiro vivo de um modo rápido e seguro.