CRISES EM SEGURANÇA

     A segurança continua sendo um problema fundamental da sociedade, dos poderes públicos e privados. Inúmeros riscos e ameaças contínuas (calamidades, tumúltuos, incêndios e, principalmente, crimes) colocam em constante perigo a vida e o patrimônio.

     Risco ou crise, portanto, é o oposto de segurança. Os riscos de características sociais, particularmente aqueles que envolvem causadores e vítimas, seja de forma culposa (acidental) ou dolosa (criminosa), são os que mais atingem a segurança que, seja ela pública ou privada, segue uma doutrina de segurança e risco, na busca racional e eficiente para gerenciar eventos críticos que ocorrem nas atividades do dia-a-dia.